Se continuar sem água a energia ficará mais cara

Uruguai dá início a exportação de energia elétrica para o Brasil
15 de maio de 2017
Meu escritório pode ser em casa
9 de junho de 2017

E agora, Brasil? Vai continuar pagando mais do que você consume??

Com nossa tecnologia você elimina os desperdícios existentes na rede elétrica e faz com que o seu medidor contabilize apenas seu consumo real, sem medir todo o campo eletromagnético gerado externamente e internamente através do acionamento de motores.

Foi publicado uma reportagem feita pelo Jornal Extra retratando a atual situação do setor elétrico no Brasil, onde se tem a falta de chuvas como principal preocupação em relação ao maior custo no fornecimento de energia e com isso mais e mais aumentos na nossa conta!!!

Segue alguns trechos da reportagem e ao final o link com o conteúdo completo:

O país não corre o risco de ficar sem energia, mas ela vai continuar cara e por um bom tempo. Esse foi o alerta dado pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, durante o evento “E agora, Brasil?”. Mesmo com o nível de reservatórios baixo em relação aos últimos anos, o ministro descartou a hipótese de um novo apagão ou de racionamento.

— Não há risco de apagão. Isso é recorrentemente questionado. Não vai faltar energia. O problema é a que preço. É inconcebível no país que temos, já há todas as fontes de energia no país, ter que ficar esperando para ver se vai chover. Não dá para achar isso normal — afirmou Coelho Filho.

Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), os reservatórios do Nordeste estão atualmente em 20,7% de sua capacidade. Os da região Centro-Oeste/Sudeste estão em 41,5%, seguidos do Sul, com 43,2%, e os do Norte, com 66%. Para poupar esses reservatórios, o governo precisa recorrer às usinas termelétricas, que pesam mais no bolso do consumidor, pois têm um custo por megawatt maior em relação ao das usinas hidrelétricas.

— O governo tomou a decisão de não fazer mais usinas com reservatórios. Hoje as novas hidrelétricas são a fio d’água (sem reservatório). As grandes usinas (com reservatório) estão no Nordeste, e estamos com a hidrologia adversa nos últimos seis anos. Já estamos com bandeira vermelha (sobretaxa na conta de luz) e ela seguirá devido aos custos da nossa geração termelétrica. Isso é outro desafio. Precisamos que elas tenham um custo mais competitivo. Mas essa transição você não faz de uma hora para outra — disse o ministro.

https://extra.globo.com/noticias/economia/sem-agua-energia-mais-cara-21355107.html