Carga deve crescer 2,8% em outubro, diz ONS

ONS: período seco terminará com vazões abaixo da média no SIN
19 de novembro de 2019
Bandeira fica amarela em outubro
26 de novembro de 2019

A carga de energia no País deve crescer 2,8% em outubro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo estimativas do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) divulgadas nesta sexta-feira, 27 de setembro. A carga no chamado Sistema Interligado Nacional (SIN) deve chegar a 69.336 MW médios.

A expansão será mais forte na região Norte, que deverá apresentar alta de 5,5% no mês que vem, frente a outubro do ano passado, para 5.808 MW médios. Já o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, principal centro de carga do País, deve apresentar crescimento, de 3,5%, na mesma comparação, para 40 676 MW médios.

No Sul, aumento será de 3,3%, para 11.620 MW médios. Na contramão de alta do restante do País, a previsão para o Nordeste é de queda de 1,2% na carga, para 11.232 MW médios.

Hidrologia

Já a hidrologia deve seguir abaixo da média histórica para outubro em todo Brasil. Segundo o ONS, a Energia Natural Afluente (ENA) na região Sudeste, considerada a caixa d’água do País, deve ficar em 72% da média de longo termo (MLT) para o período, enquanto no Sul o volume de água que chegará aos reservatórios chegará a 46% da média de longo termo, no Nordeste, o porcentual é de 37% da MLT de outubro e no Norte, de 65%.

Com as afluências esperadas, o nível dos reservatórios deve cair em todas as regiões até o fim do próximo mês. No Sudeste, a queda deve ser de 8 pontos porcentuais (p.p.), passando dos atuais 31,7% para 23,7% em 31 de outubro, enquanto o Sul a queda deverá ser de 3,2 p.p., para 38,7%. No Nordeste o recuo esperado é de 6,8 p.p., para 37,3%, e no Norte a baixa é de 19,4 p.p., para 31,4%.