Confiança na reabertura aumenta e dá força aos ativos

Incentivo a fontes de energia vai custar R$ 5,6 bilhões aos consumidores em 2020, diz Aneel
26 de junho de 2020
A economia está voltando a crescer de forma sustentável e entra em uma trajetória de crescimento sustentável
1 de julho de 2020

Resultados da indústria no Brasil e do emprego nos EUA vieram melhores do que as projeções, contribuindo para o otimismo.

Os fortes estímulos monetários dos bancos centrais anunciados nos últimos meses mostraram ao longo desta semana seu poder sobre os preços dos ativos, ao se combinarem à crescente confiança dos investidores na reabertura das maiores economias do mundo.

Esse sentimento positivo ganhou corpo a partir de sondagens que deram indícios de recuperação dos países após um período em queda livre. Além disso, perdeu espaço o temor de que novas ondas de contaminações da Covid-19 voltem a paralisar as atividades.

Nesse cenário, o Ibovespa emplacou seis dias consecutivos em alta. Na semana, o índice de ações acumulou ganhos de 8%, fechando a sexta-feira aos 94,6 mil pontos, após três meses abaixo desse nível. No mercado cambial, o dólar terminou a semana cotado abaixo dos R$ 5.

Entre os eventos que ajudaram os negócios, estão os resultados da indústria no Brasil e do emprego nos EUA, que vieram melhores do que as projeções. Relembre a seguir como foi a primeira semana de junho.

A federação de concessionárias Fenabrave apontou que as vendas no mês passado tiveram uma recuperação de 12% em relação a abril, um sinal positivo. A associação de montadoras Anfavea, por sua vez, indicou o reinício das atividades em curso nas fábricas. De menos de dois mil veículos produzidos em abril, a produção saltou para 43 mil em maio.