Moura diversifica e aposta em baterias para energia elétrica
13 de junho de 2019
Dúvida sobre preço por horário
20 de junho de 2019

A Energisa informou que o consumo consolidado de energia, considerando os mercados cativo e livre, além do fornecimento não faturado, subiu 3,4% em abril, na comparação com o mesmo período de 2018, para 2.986,9 gigawatt-hora (GWh). Considerando apenas o mercado cativo e no mercado livre, o consumo cresceu 2,4%, para 2.987,0 GWh.

Segundo a Energisa, o desempenho teve contribuição de todas as classes de consumo, com destaque para a classe residencial (3,1%), que concentra 36,6% das vendas totais de energia do grupo. A classe residencial apresentou crescimento em nove das onze distribuidoras, com destaque para os avanços registrado pelas subsidiárias Energisa Mato Grosso (8,8%), Energisa Tocantins (6,4%) e Eletroacre (4%).

As concessões que apresentaram recuo no consumo de energia na classe residencial foram Energisa Mato Grosso do Sul (queda de 3,8%) e Energisa Nova Friburgo (1,4%). As quedas foram provocadas pelo “efeito calendário de faturamento menor e da alta base de comparação em abril do ano passado, quando as elevadas temperaturas foram determinantes no consumo residencial nessas distribuidoras”.

A classe comercial apresentou aumento de 2,4% em abril. O segmento industrial teve alta de 1,6%. A classe rural registrou expansão de 2,1%. No primeiro trimestre, a Energisa registrou aumento de 4,5% consumo de energia.