Subsídio na conta de luz demanda R$ 20,2 bi em 2019, alta de 1%, diz Aneel

Consumo na área da Energisa tem crescimento de 2,9% em 2018
29 de janeiro de 2019
Restrições no SIN fazem Brasil importar mais energia do Uruguai e Argentina
31 de janeiro de 2019

A chamada Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) custeia desde programas como o Luz Para Todos até descontos para agricultores

Subsídios em energia bancados por cobranças na conta de luz e pela arrecadação de multas aplicadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica(Aneel) deverão custar 20,2 bilhões de reais em 2019, alta de 1 por cento na comparação com este ano, apontou o órgão regulador nesta terça-feira.

A chamada Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) custeia desde programas como o Luz Para Todos até descontos para agricultores, mas o crescimento dos subsídios nos últimos anos levou o governo do presidente Temer a prometer por diversas vezes medidas para reduzir a pressão sobre as tarifas.

Apesar das promessas e de um estudo sobre medidas para conter os custos, os consumidores de energia ainda precisarão pagar 17,18 bilhões de reais em encargos em 2019 para compor o orçamento da CDE, que ainda deve contar com 181 milhões de reais arrecadados com multas da Aneel, entre outras fontes de receita.

Em 2018, os custos da CDE para os consumidores foram apenas ligeiramente menores, em 17,95 bilhões de reais, enquanto multas arrecadaram 214 milhões.